O que dá sentido à vida?

 

Já ouviu falar do princípio janonês do Ikigai?

Até há bem pouco tempo atrás eu também nunca ouvira falar nesta palavra japonesa, Ikigai. Estava eu numa livraria quando, a certa altura, caí-me, literalmente, nas mãos um livro com esta temática. Em poucos segundos fui conquistada pela temática, pois a capa era sugestiva. Aliás, todo o livro era!

 

Ikigai significa razão de viver.

Iki significa vida e gai motivo, sentido, resultado, valor (…)

 

Mas, antes de falar-vos mais no Ikigai, vou falar-lhe da sua origem. Este maravilhoso conceito surgiu numa ilha, a ilha dos centenários, onde as pessoas são mais felizes.

Em Okinawa, uma ilha japonesa, pertencente ao arquipélago de Ryukyu, residem os idosos mais velhos do mundo. Ali se concentra o maior número de centenários da população mundial. E quase todos conservam boa saúde e levam uma vida ativa e independente. São felizes, portanto!

O exemplo de Okinawa é único, porque ali as pessoas têm muito mais Ikigai do que em qualquer outra parte. As pessoas que ali vivem acreditam que as suas ocupações valem a pena e vivem um sentido para as suas tarefas do dia-a-dia.

Para este povo, a comunidade, o sentido de pertença, o círculo de apoio mútuo designado por Yuimaru dá mais sentido às suas vidas. As pessoas fazem parte de um grupo, que os ajuda e impulsiona, sendo que o foco não se orienta para um objetivo próprio, mas para prestar um serviço à comunidade.

 

De acordo com Lemke (2018), Ikigai descreve o estado de uma pessoa que sabe discernir o sentido da sua vida e experimenta felicidade de fazer algo que para ela tem um profundo significado. O ikigai compreende:

  • O sentido da vida;
  • Aquilo pelo qual vale a pena viver;
  • A felicidade de fazer aquilo que nos dá prazer;
  • A realização pessoal e a motivação;
  • A alegria e o objetivo de vida.

No Ikigai pessoal intervêm quatro grandes fatores, são eles:

  1. As coisas que gostamos de fazer.
  2. As nossas forças ou o que fazemos bem.
  3. As coisas pelas quais nos pagam/poderiam pagar ou mereceriam uma contrapartida por parte de terceiros.
  4. As coisas de que o mundo necessita.

A boa notícia é que cada um de nós tem Ikigai.

Já descobriu o seu?

 

Quando reconhecemos o nosso Ikigai, abre-se o caminho em direção às coisas que realmente nos entusiasmam.

Princípios básicos para uma vida plena de sentido

1.     Respiração consciente;

2.     Alimentação saudável;

3.     Movimento suave;

4.     Dormir bem;

5.     Equilíbrio saudável entre o trabalho e o lazer;

6.     Sorrir muito;

7.     Praticar a resiliência;

8.     Viver em comunidade;

9.     Praticar a gratidão.

 

Lembre-se, sempre, o teu IKIGAI está dentro de si!

 

Bibliografia:

Lemke, B. (2018). Encontre o seu Ikigai. Lisboa: Zeroaoito.

Garcia, H. e Miralles, F. (2016). Ikigai: viva bem até aos cem. Lisboa: Albatroz.